Armas do Futuro!

Webnode
02-04-2011 00:00

 Armas do Futuro!

Modernas e Tecnológicas podem ser as guerras do século XXI. Com o poder de destruição incalculável podem destruir o mundo mais de uma vez. E agora você irá conhecer as armas mais destemidas que estão sendo produzidas ou já existem.

 

Panzer Howitzer 2000

 

 

O morteiro de autopropulsão do tanque do exército alemão (Panzerhaubitze 2000) é o mais avançado sistema de canhões de artilharia do mundo. Seu poder impressionante de fogo deve-se ao cano 155 mm de rápido disparo, capaz de explodir barragens rapidamente, variando de três tiros em 10 segundos a 20 tiros em três minutos. O único problema de manter essa taxa de disparos é o superaquecimento, mas o inovador revestimento de cromo do cano da arma ajuda a diminuir bastante o problema.

O carregamento e o disparo da artilharia são completamente automatizados. Com cartuchos convencionais, o alcance máximo da arma é de 29 quilômetros, mas com disparos intensificados e “inteligentes”, o alcance efetivo aumenta para impressionantes 55 quilômetros. O morteiro tem um excelente desempenho em campo – e atinge uma velocidade máxima aproximada de quase 50 quilômetros por hora – além de um alto nível de proteção blindada para os ocupantes.

 

 

Corner Shot 40

 

Em sua versão mais recente, a arma é munida de um lançador de granadas de 40mm, mas a coronha aceita uma variedade de tipos pequenos de arma, como o M-16 e lançadores de granadas de fumaça. Os projetistas israelenses e outros especialistas consideram que esta arma tem um grande potencial em operações anti-terroristas.

 

 

 

 

Rifle Barrett M107

 

Clássico rifle de alta potência para franco-atiradores, usado pelas Forças Armadas dos EUA, o rifle M107 (ex-M82) foi usado pela primeira vez por tropas norte-americanas na Operação Tempestade no Deserto. O M107 dispara uma potente munição calibre .50, que foi utilizada durante muito tempo como a munição padrão de metralhadoras pesadas.

Com um alcance efetivo de mais de 1.500 metros, e um incrível poder de impacto, o rifle se mostrou eficiente contra muitos tipos de alvo inimigo, inclusive soldados, veículos e aeronaves estacionadas. A versão padrão do M107 vem com mira telescópica e suporte de dois pés, que juntos aumentam a precisão durante os disparos. O design mpecável da arma minimiza o coice, enquanto a ação semi-automática de 10 ciclos permite ao atirador concentrar-se em um alvo através de múltiplos acionamentos do gatilho.

 

Metal Storm

 

 

 

Talvez a arma automática mais poderosa do mundo, a Metal Storm usa um sistema que combina cano e pente, de tal forma que as únicas partes móveis sejam os próprios projéteis. Outras armas automáticas têm uma pente com balas, as quais são carregadas automaticamente no cano, mas na Metal Storm, a munição é carregada previamente e armazenada na combinação cano/pente.

As balas são disparadas eletricamente, para gerar uma torrente de força letal (até mil disparos por segundo), principalmente com sistemas que usam uma configuração de canos múltiplos. Essa tecnologia pode ser usada com todos os tipos de munição, e como não há outras partes móveis, o emperramento nunca é um problema. Na imagem acima, está a arma Redback 40mm por controle remoto da Metal Storm, recentemente apresentada como uma defesa arrasadora contra todos os tipos de ameaça.

 

 

Bomba Termobárica

 

Com um nome que deriva do grego “calor” e “pressão”, essas bombas combinam o poder das duas forças para expandir enormemente o potencial de destruição contra alvos mais inacessíveis. Embora o termo “termobárico” seja utilizado com freqüência para uma ampla variedade de explosivos de grande potência, ele é mais apropriado para descrever bombas que misturam um explosivo de combustível monopropelente com algum tipo de partícula altamente combustível e energética, como pó de alumínio.

 

O resultado é uma bola de fogo intensamente concentrada, combinada com uma explosão devastadora de alta pressão. Bombas termobáricas são armas ideais para concentrar calor e pressão em um espaço limitado, tanto para limitar os danos colaterais, quanto para alcançar alvos subterrâneos em profundidade.

 

 

 

 



Arma LRAD

 

Ruídos altos e incômodos têm sido uma “arma” de impacto pessoal por milênios, mas recentemente, as forças armadas de segurança do mundo inteiro têm utilizado uma arma sônica muito mais potente conhecida como “dispositivo de longo alcance acústico”, ou pela sigla em inglês LRAD. Com menos de um metro de diâmetro, e pesando 22 quilos, o dispositivo circular preto emite um intenso raio acústico de 15 a 30 graus de abrangência – um ruído de alta freqüência semelhante ao alarme de detectores de fumaça – que pode causar lesões auriculares permanentes em distâncias próximas.

 

A 100 metros, o raio LRAD é extremamente doloroso, mas é tipicamente usado em alcances de 300 a 500 metros, como meio de intimidação ou alerta. As armas LRAD são usadas pela Marinha e pela Guarda Costeira norte-americana para intimidar embarcações próximas, e já foram testadas no Iraque com diferentes capacidades.

 


Laser Aéreo

Em uma iniciativa que começou na época da Guerra Fria, o Comando de Mísseis dos EUA e a Força Aérea norte-americana continuam uma pesquisa em conjunto para desenvolver uma arma de laser aéreo (ABL). Os projetos envolvem a instalação de um laser químico de iodo e oxigênio, dispostos em uma torre rotatória no nariz de aeronaves Boeing 747-400 especialmente modificadas.

A principal missão do ABL é abater mísseis balísticos inimigos através do aquecimento da cobertura metálica do alvo, até o ponto de causar enfraquecimento e rompimento durante o vôo (representado na ilustração acima). Usando sensores infravermelhos para detectar mísseis inimigos em ascensão, o sistema ABL emite uma rajada laser com duração de três a cinco segundos, para abater cada alvo. Testes bem-sucedidos no solo já demonstraram o poder destruidor do laser, e a Força Aérea espera ter uma versão operando no ar depois de 2008.

 

 

 


Excalibur

Pertencente a uma nova classe de “Projéteis de Artilharia de Longo Alcance Guiados com Precisão”, a artilharia XM982 Excalibur  pertence à categoria de munição inteligente do Exército norte-americano. Os projéteis da Excalibur combinam um sistema de orientação por GPS com asas estabilizadoras e foguetes que têm alcance maior e mais preciso do que os da artilharia convencional.

Os projéteis podem abrigar uma variedade de cargas úteis, inclusive munições convencionais aperfeiçoadas de dupla função (ilustradas acima com o lançamento de pequenas bombas “inteligentes”)  e ogivas unitárias (anti-blindagem). Com um sistema inovador de orientação interna, a Excalibur pode descer até os alvos em ângulos muito mais abertos, com a precisão de atingir uma área pré-determinada de dez metros, depois de um vôo de 40 quilômetros.

 



Arma Sensor Fuzed

 

Uma versão muito melhorada da tradicional bomba “cluster”, a arma “sensor fuzed” (antiga CBU-97) usa pequenas bombas “inteligentes” para espalhar a destruição pelos campos de batalha, com ataques precisos a múltiplos alvos inimigos. O CBU-97 é uma bomba tubular (ver imagem acima), que contém cinco canos cilíndricos (chamados de “submunições”), sendo que cada um carrega quatro pequenas bombas “inteligentes”, somando um total de 40 bombas por arma.

Depois que o cilindro principal é lançado, seu revestimento abre-se e permite a saída de 10 submunições, cada uma com seu próprio pára-quedas. Em uma altitude pré-determinada, os pára-quedas são descartados e os foguetes dentro dos cilindros elevam as submunições, para gerar um movimento giratório e permitir a dispersão das pequenas bombas. Sensores infravermelhos nas bombas procuram pelos alvos, que são abatidos através de pequenas ogivas de alta potência.

 

 

 


Bomba MOAB

A arma convencional mais maciça do arsenal norte-americano, a bomba MOAB (GBU-43/B) pesa 9,5 toneladas e carrega nove toneladas de explosivo H-6. Com tanta massa e tamanho – tem 9 metros de comprimento e pouco mais de um metro de largura – a bomba só pode ser lançada a partir de uma aeronave com grande compartimento de carga.

A MOAB usa um sistema GPS para guiá-la até os alvos, mas tem um raio de destruição de 122 metros, por isso dificilmente pode ser considerada uma arma de precisão. Quilo por quilo, ela é muito menos eficiente do que sistemas de pequenas bombas múltiplas, mas o efeito psicológico – que inclui uma onda extensa de destruição e uma nuvem em cogumelo semelhante às bombas nucleares – são incomparavelmente aterradoras.

Webnode